Memórias do AHR: Livro Didático I
23 de junho de 2014

LIVRO DIDÁTICO: Objeto, Fonte, Documento, Sujeito (Parte I)
   
     O campo do ensino de história oferece, em possibilidades de pesquisa histórica, inúmeros objetos por meio dos quais é possível investigar a construção do conhecimento histórico em seus diversos complexos institucionais. Um dos objetos de pesquisa que carrega em si um universo de extensas problemáticas é o livro didático de história - em seu conceito mais amplo, os livros-textos utilizados como suporte didático-pedagógico pelas disciplinas de história, na atual concepção da educação básica.
   
     Embora fuja ao atual conceito de disciplina escolar, o ensino de história no Brasil pode ser perscrutado desde o período colonial, marcado pela atuação da Companhia de Jesus e seu empenho na educação das populações indígenas brasileiras – além da formação religiosa, os índios recebiam formação humanística, na qual os estudos históricos se incluíam pelo contato com textos de historiadores da Antiguidade greco-romana, mesmo em função estritamente instrumental – a de garantir a efetividade da conversão por incutir os valores morais e cristãos aos índios, agora vassalos do Rei.
   
     Em condição efetiva de disciplina, usa-se como marco fundador os eixos disciplinares do Colégio Dom Pedro II, fundado durante o período imperial na capital do país, então a cidade de Rio de Janeiro, onde os estudos históricos foram inclusos, dicotomizando as histórias da “civilização” (essencialmente da Europa ocidental), a primeiro plano, e a história pátria, do Brasil, relegada aos anos finais de ensino, sob forma de datas “importantes”, ligadas a batalhas e biografias de homens ilustres. Acompanhando a adoção dos modelos curriculares franceses, os “livros didáticos” do período eram igualmente de origem francesa. Assim o foi até a primeira ruptura do sistema, a dos anos 1930, com o desenvolvimento de uma política educacional consistente e a nacionalização da produção do livro didático, incluindo o ideal de “nação” a todos os parâmetros educacionais: o livro didático é, assim, reconhecido em seu papel de instrumento pedagógico e didático, cumprindo também a função de controle político-ideológica idealizada pelo poder estatal.

Letícia Mistura
Acadêmica do Curso de História da UPF
Fonte: Acervo do AHR
* O AHR destaca que os artigos publicados nessa seção
expressam única e exclusivamente a opinião de seus autores




Para ler outros textos de MEMÓRIAS DO AHR... clique aqui.


< Anterior   Próximo >